Qual é o livro que falta?

 

Já sabe para onde vai viajar nos próximos três meses? Hoje, 18 de abril, Dia Nacional do Livro Infantil, o Expresso Letrinhas, o clube de leitores da Companhia das Letras, tem dicas de “roteiros” imperdíveis aos jovens viajantes: que tal pegar uma trilha por livros como A parte que falta, de Shel Silverstein, Direitos do pequeno leitor, de Patricia Auerbach e Odilon Moraes, e Cada coisa, de Eucanaã Ferraz e Raul Loureiro, entre outros?

Como nas outras edições, o Expresso Letrinhas envia aos assinantes dois livros por mês: um chamado de clássico e outro que varia de acordo com a faixa etária escolhida (faixa A: 0 a 6 anos; faixa B: 7 a 9 anos; faixa C: 10 a 12 anos). O kit também acompanha fichas com informações adicionais sobre as obras, dicas de atividades e temas de discussão do mês, uma carteira de sócio-viajante e um cartão-postal com propostas de brincadeiras tradicionais. A seguir, confira a programação completa dos próximos meses (e clique aqui para saber como embarcar!)

Maio

A busca pela completude

 

Livro adorado pela youtuber Jout Jout, A parte que falta é o clássico do Expresso Letrinhas de maio. A obra escrita e ilustrada por Shel Silverstein explora temas como incompletude a partir de um personagem circular que sai em uma jornada em busca pelo pedacinho que lhe completaria.

(Clássico: para todas as idades)

 

A brincadeira do escuro

 

Já se divertiu apenas com as sombras de uma lanterna? Pois o personagem Sombrinhas, de Jean Galvão, conseguiu deixar a brincadeira ainda mais divertida: aproveitou que estava na companhia do seu gato de estimação e começou a brincar com o rabo e as patas do bichinho. Mas um imprevisto mudou tudo: as pilhas da lanterna acabaram. Qual será a solução do menino para continuar com a brincadeira?

(Faixa A: de 0 a 6 anos)

 

No mundo da lua

 

Tia Cátia, de Cotia, ficou doente de repente e foi morar na casa do seu sobrinho. Essa é a história de O amor pega feito um bocejo, poema de Antonio Geraldo Figueiredo Ferreira, ilustrado por Rogério Coelho. As aventuras da tia são contadas por um menino de forma sensível e inventiva. Até os fatos mais difíceis passam pelo olhar poético dele.

(Faixa B: de 7 a 9 anos)

 

Cada coisa tem a sua poesia

 

O que será que cada coisa carrega na nossa vida? Para o poeta Eucanaã Ferraz, cada coisa tem sua poesia. Assim, escreveu os poemas do livro Cada coisa, com versos dedicados aos mais diferentes objetos cotidianos, como parafuso, prego, livro... As ilustrações são de Raul Loureiro.

(Faixa C: de 10 a 12 anos)

 

Junho

Pequenos leitores e seus direitos

 

O escritor Daniel Pennac escreveu os Direitos inalienáveis do leitor, em Como um romance. Mas quais são os direitos dos pequenos leitores? É o que busca responder Direitos do pequeno leitor, de Patricia Auerbach, verdadeiro manifesto da leitura na infância. As ilustrações de Odilon Moraes dialogam com clássicos universais da literatura infantil. E o melhor: o exemplar entregue será autografado pelos autores.

(Clássico: para todas as idades)

 

A diversidade dos cocôs

 

Cada bicho faz um tipo de cocô. Em Cocô no trono, o pintinho dá dicas de como utilizar melhor o trono. Uma história divertida e muito útil a pais que passam por essa fase de transição com seus filhos, que trocam as fraldas pelo trono (o vaso sanitário). Escrito e ilustrado por Benoit Charlat.

(Faixa A: de 0 a 6 anos)

 

Um encontro especial

 

O que o medo pode causar na vida de uma pessoa? Qual é o poder de uma visita inesperada? Essas são algumas questões de A visita, de Antje Damm, em que a medrosa e solitária personagem Elise abre as portas de sua casa para um pequeno e curioso garoto. O encontro dá cor e luz à vida da mulher.

(Faixa B: de 7 a 9 anos)

 

Histórias de terror ao pé da fogueira

 

Esta é uma história de terror que se passa em uma fazenda de uma cidade do interior paulista. Lá, os irmãos Francisco, Rita, Fernando e Luísa nadam no riacho, sobem em árvores e correm atrás de bezerros, mas acontecimentos estranhos surgem depois que a proprietária da casa, dona Santa, começa a contar histórias de assombração ao pé da fogueira. Minha querida assombração foi escrito por Reginaldo Prandi e tem lustrações de Rodrigo Rosa.

(Faixa C: de 10 a 12 anos)

 

Julho

A busca continua...

 

Quando Shel Silverstein decidiu escrever a continuação de A parte que falta, a opção foi por contar a história do ponto de vista da parte, procurando um ser circular para se encaixar. Ela só queria alguém que a levasse para ver o mundo. Daí surge A parte que falta encontra o Grande O, capaz de trazer reflexão sobre questões existenciais a pessoas de todas as idades.

(Clássico: para todas as idades)

 

Vamos brincar de esconde-esconde?

 

O cachorro Neném passa o dia todo se escondendo em todos os lugares da escola: na cantina, na biblioteca e até no banheiro! Pois essa história traz diversão em dobro: além de acompanhar as aventuras de Neném pelos versos rimados do texto, o leitor pode também sair em busca do bichinho pelas dobras do livro Esconde-esconde na escola, de Claudia Bielinsky.

(Faixa A: de 0 a 6 anos)

 

A salvação de uma flor

 

Um menino que sai da aldeia pelos fundos. Como um pintassilgo, desce ao rio para salvar uma flor: a maior do mundo. Essa é a história que José Saramago teria contado se pudesse escrever a melhor história de todos os tempos. Em um exercício metalinguístico, ele narra o conto mesmo assim. "Quem sabe se um dia virei a ler outra vez esta história, escrita por ti que me lês, mas muito mais bonita?..." As ilustrações são de João Caetano.

(Faixa B: de 7 a 9 anoso)

 

Um dia nada comum

 

Um dia de uma adolescente na escola pode ser bem conturbado. É assim com Mia, que recebe no meio da aula de ciências um bilhete de seu melhor amigo. "Quer sentar comigo hoje na perua?" O convite é acompanhado de seu chocolate preferido. O que estaria acontecendo com aquela amizade? Esse é o questionamento da garota em O dia em que a minha vida mudou por causa de um chocolate comprado nas Ilhas Maldivas, de Keka Reis.

(Faixa C: de 10 a 12 anos)

 

Acesse a Letrinhas nas redes sociais