Portas abertas para a ilustração

 

Bruno Munari, Suzy Lee, Eric Carle, Shaun Tan, Beatrice Alemagna, Alfonso Ruano, David Mckee e Roberto Innocenti são alguns dos ilustradores internacionais que integram a exposição A ilustração como porta para o mundo, inaugurada nesta semana no Sesc Bom Retiro, em São Paulo. É originária da tradicional Mostra dos Ilustradores, que marca presença na Feira do Livro Infantil e Juvenil de Bolonha há mais de cinco décadas, sob a curadoria de Paola Vassalli.

 

Ilustração de Bente Olesen Nyström, da Dinamarca

 

No Brasil, a exposição ganha a curadoria da especialista em literatura infantil Dolores Prades, que selecionou autores nacionais para uma seção brasileira especial, organizada pelo Instituto Emília, em parceria com a Feira de Bolonha. Em sua seleção, a curadora optou por apresentar um panorama da ilustração atual brasileira. Escolheu artistas que apontam diferentes tendências artísticas, que “marcaram a ilustração contemporânea no país”: Daniel Bueno, Fernando Vilela, Mariana Zanetti, Odilon Moraes e Marilda Castanha. "A escolha não foi fácil, ​tivemos que considerar uma questão objetiva que era o espaço, muitas escolhas tiveram que ser feitas até a decisão dos cinco ilustradores contemporâneos, para que essa pequena mostra fosse uma 'janela' para o que está se produzindo hoje", afirma.

É claro que a mostra, como qualquer seleção desse tipo, deixou importantes nomes de fora. Um caso foi o ilustrador Roger Mello, que, segundo a curadora, colabora para que o país esteja em sintonia com a produção internacional. Ele está em contato constante com artistas de outros países, principalmente depois de ter sido consagrado com o prêmio Hans Christian Andersen de ilustração, considerado o Nobel da literatura infantil, em 2014. “Penso que esta exposição, que coloca a ilustração em evidência e a sua importância no panorama internacional, é muito oportuna para lembrar o papel essencial dos ilustradores na produção do livro infantil e juvenil nas últimas décadas", diz.

Dolores destaca ainda que a mostra chega em um momento difícil para a ilustração brasileira, que “perde espaços importantíssimos já conquistados”. Refere-se principalmente às recentes mudanças nas regras do Prêmio Jabuti, uma das mais importantes premiações literárias brasileiras. Por isso, a abertura conta, ainda, com uma mesa de debates, a ser realizada no dia 12/7. Com a participação de Daniel Bueno, Laura Teixeira, Mariana Zanetti, Odilon Moraes e Stela Barbieri, o tema será A ilustração no Brasil hoje, em que os profissionais poderão conversar sobre o papel da ilustração e dos ilustradores brasileiros em relação ao panorama internacional.

Enquanto a exposição brasileira é focada na produção contemporânea, os visitantes que tiverem contato com a Mostra dos Ilustradores poderão conhecer melhor a história da ilustração mundial dos últimos 50 anos, de 1967 a 2016. Há dez artistas selecionados para representar cada década. "Um dos pontos mais ricos desta exposição é exatamente este percurso histórico que aponta as principais tendências da ilustração nas últimas cinco décadas, um período suficientemente amplo para demarcar tendências, movimentos e mostrar as razões que alguns ilustradores, hoje já clássicos, se sobressaíram e fizeram escola", conta Dolores sobre a exposição que já viajou ao Japão e a Xangai e que em novembro chega a Nova York.

 

Ilustração de Stepan Zavrel, da República Checa

 

Confira os ilustradores internacionais selecionados:

1967 – 1976

  1. Francesco Tullio-Altan (Itália)
  2. Eric Carle (USA)
  3. Patrick Couratin (Franca)
  4. Helme Heine (Alemanha)
  5. Emanuelle Luzzatti (Itália)
  6. David Macauly (USA)
  7. Iela Mari (Itália)
  8. Bruno Munari (Itália)
  9. Ralph Steadman (Inglaterra)
  10. Stepan Zavrel (República Tcheca)
  11.  
  12. 1977 – 1986
  13. Jean-Louis Besson (França)
  14. Quentin Blake (Inglaterra)
  15. Stasys Eidrigevicius (Lituânia)
  16. Monique Felix (Suíça)
  17. Robert Ingpen (Austrália)
  18. Roberto Innocenti (Itália)
  19. Dusan Kallay (Bratislava)
  20. David Mckee (Inglaterra)
  21. Tony Ross (Inglaterra)
  22. Lisbeth Zwerger (Viena)

 

1987 – 1996

  1. Jean Claverie (França)
  2. Klaus Ensikat (Alemanha)
  3. Georges Lemoine (França)
  4. Yan Nascmbene (Franca)
  5. Kveta Pacovská (Polônia)
  6. Cris Raschka (USA)
  7. Alfonso Ruano (Espanha)
  8. J. Otto Seibold (USA)
  9. Max Velthuijs (Países Baixos)
  10. Piero Ventura (Itália)

 

1997 – 2006

  1. Beatrice Alemanha (Itália)
  2. Arnal Ballester (Espanha)
  3. Eric Battut (França)
  4. Chiara Carrer (Itália)
  5. Svjetlan Junakovic (Zagrev)
  6. Taro Miura (Japão)
  7. Fabian Negrin (Argentina)
  8. Bente Olesen Nyström (Dinamarca)
  9. Vladimir Radunsky (Rússia)
  10. Shaun Tan (Austrália)

 

2007 – 2016

  1. Ofra Amit (Israel)
  2. Bernardo Carvalho (Portugal)
  3. Maja Celija (Eslovênia)
  4. Mara Cerri (Itália)
  5. Philip Giordano (Japão)
  6. Anne Herbauts (Bruxelas)
  7. Suzy Lee (Coréia)
  8. Nooshin Safakoo (Irã)
  9. Alessandro Sanna (Itália)    
  10. Klaas Verplancke (Suíça)


 

 

Anote na agenda

Exposição A ilustração como porta para o mundo

Onde: Sesc Bom Retiro (Al. Nothmann, 185)

Quando: de 11/7 a 14/10

Quanto: grátis

Acesse a Letrinhas nas redes sociais