Grinch está de volta às telonas neste Natal

 

O famoso personagem verde que odeia o Natal está de volta. Depois da conhecida interpretação de Jim Carrey na adaptação para o cinema de Como o Grinch roubou o Natal, escrito por Dr. Seuss, em 1957, agora é a vez da história ser contada em animação, feita pela produtora Illumination Entertainment, a mesma responsável pela trilogia Meu malvado favorito.

 

Foto Divulgação

 

Este novo Grinch, que estreou no dia 8 de novembro nos cinemas brasileiros, continua verde e muito ranzinza. Sua aversão pelo clima natalino continua a mesma. Mas tem muito mais novidades aos espectadores. Primeiro porque o filme conta com forte participação de Cindy Lou, garotinha de dois anos e meio que tem uma ligeira aparição no livro, e humaniza a figura rabugenta do protagonista.

 

Foto Divulgação

 

Ela rouba a cena no novo filme, com todo um universo que cria uma personalidade própria à personagem. Outro ponto forte do filme é o momento em que o passado de Grinch é revelado, mostrando seus motivos para odiar o Natal. Apesar de um tanto romantizado – assim como a realidade da pequena Cindy Lou também é –, esse é o momento em que o protagonista é mais humanizado, o que gera certa simpatia com o espectador.

 

Leia mais: Muito além de Papai Noel e suas renas

 

A interpretação chama a atenção. Se em inglês o famoso Grinch ganha a voz de Benedict Cumberbatch, com narração de Pharrell Williams, na versão brasileira, podemos conferir o ator Lázaro Ramos cumprindo esse papel. Já a narração fica por conta de Cláudio Galvan. É numa tradução que preserva as canções, mas adapta muito as falas e os diálogos que podemos ouvir expressões bastante abrasileiradas, como “picar a mula”, “oxente” e “guria”.

Algumas falas rimadas do livro, traduzido para o português por Bruna Beber, também permanecem no filme. É o caso de: "Ou porque seus sapatos eram muito apertados. / Porém, acho que a principal explicação / é que ele não tinha um bom coração". Ou quando a criatura toma a decisão de roubar o Natal: "Então ele teve uma ideia! / Uma péssima ideia! / O Grinch / teve uma ótima péssima ideia!".

 

Foto Divulgação

 

Como o Grinch roubou o Natal é uma das mais famosas obras de Dr. Seuss, que chegou a receber o Prêmio Pulitzer em 1984 pela sua contribuição para a literatura infantil. O próprio escritor e ilustrador chegou admitir, em entrevista à revista Redbook, em 1957 (ano do lançamento do livro), que o personagem foi criado justamente para recuperar os bons sentimentos em relação ao período natalino. Dr. Seuss sempre buscava escrever histórias que levassem as crianças à libertação. Tornou-se uma referência nos Estados Unidos e também no mundo. Grinch é uma de suas criações, que repercute até hoje seu legado.

 

 

 

Acesse a Letrinhas nas redes sociais