Dez livros para ler com os avós!

 

No dia 26 de julho, comemora-se o Dia dos Avós! Como nos livros infantis não faltam histórias com ou sobre vovôs e vovós e netos e netas, selecionamos dez obras que podem ser lidas nessa data que homenageiam esses familiares mais do que especiais. Nessa lista, há a avó Alice, enfeitiçada nos versos de Mário Quintana, a avó alienígena criada por Babette Cole, o Vovô Verde das memórias de Lane Smith, a vovó dos quitutes nipônicos de Janaina Tokitaka e, claro, a sempre inesquecível Dona Benta, a vovó sabida do Sítio do Picapau Amarelo.

Antes mesmo de conhecermos os livros, no entanto, vale saber mais sobre a data comemorativa. No Brasil e em Portugal, a celebração do Dia dos Avós é fruto do empenho de Dona Aninhas, a vovó portuguesa Ana Elisa do Couto, de Penafiel, na região do Porto, avó de quatro netas e dois netos, que se tornou uma missionária do reconhecimento desses laços familiares. Ela viajou por diversos países, incluindo o Brasil, defendendo que se comemorasse o Dia dos Avós numa data que tem origem na mitologia cristã: a Igreja Católica celebra no 26 de julho o dia de São Joaquim e Santa Ana, pais de Maria, avós de Jesus Cristo. A data então foi aceita pelo Papa Paulo VI e passou a aparecer no calendário lusitano e brasileiro.

 

O Dia dos Avós foi instituído por esforço da portuguesa Dona Aninhas

Placa dedicada à Dona Aninhas, criadora do Dia dos Avós em Penafiel, Portugal — Foto: Edison Veiga/BBC Brasil

 

Mas o dia 26 de julho não é um consenso mundial. Na Itália, por exemplo, houve a preocupação de desconectar o Dia dos Avós da memória dos santos e enfatizar o caráter civil da festividade, sendo a "Festa Dei Nonni" festejada no dia 2 de outubro. No Canadá, comemora-se também em outubro, mas no dia 25. Nos Estados Unidos, no Reino Unido e na Austrália, celebra-se como o Dia das Mães e dos Pais, ligado ao dia da semana: as festas acontecem no primeiro domingo de setembro, no primeiro domingo de outubro e no primeiro domingo de novembro, respectivamente. Já na França é diferente: há o Dia das Vovós (primeiro domingo de março) e o Dia dos Vovôs (primeiro domingo de outubro).

Confira a seguir alguns livros para ler com avós e avôs.

Pé de Pilão

Livros sobre avós - Capa de Pé de Pilão, de Mario Quintana

 

Mario Quintana faz em Pé de Pilão uma poesia brincalhona, contando diversas histórias de personagens cujas tramas vão se alinhando nas rimas, aproximando crianças e adultos da infância. No livro, uma dessas histórias é a do menino Matias, transformado em um patinho amarelo por uma bruxa que vive uma aventura fantástica em busca de sua avó Alice, que também foi enfeitiçada.

 

Meu avô é um problema e Minha avó é um problema

Livros sobre avós - Capa de Meu avô é um problema

Os livros da Babette Cole fazem um sucesso e tanto entre as crianças justamente por mostrar que adultos também podem ser um problema. No caso dos avós dessa série de livros, o vovô plantava verduras e legumes enormes e premiados, de dar inveja nos concorrentes – o que motivou que eles tramassem uma emboscada para o vovô, envolvendo tomates, lagartas gigantes e até a polícia! E a vovó que é, na verdade, uma alienígena? São aventuras com os avós do tamanho do universo!

 

Histórias de Avô e Avó

Livros sobre avós - Capa de Histórias de avô e avó, de Arthur Nestrovski

Numa autobiografia afetiva, o crítico de música Arthur Nestrovski escreve as lembranças que tem sobre seus avós, judeus de origem russa que emigraram para o Brasil e se instalaram no sul do país. Pelas histórias, é possível conhecer o passado brasileiro nas contações do vô Maurício e vô Felipe, vó Olga (na verdade, bisavó), vó Luísa e vó Póli. Se fossem outros os avós, as histórias seriam as mesmas? Para o autor, seriam, já que avós adoram seus netos – e vice-versa.

 

Vovó veio do Japão

Livros sobre avós - Capa de Vovó veio do Japão, de Janaina Tokitaka e outras autoras

As quatro mulheres que assinam este livro como autoras e ilustradoras – Janaina Tokitaka, Raquel Matsushita, Mika Takahashi e Talita Nozomi – contam as histórias carinhosas de quatro meninas que se divertem com suas avós. As obaa-chans nasceram no Japão, diferentemente de suas netas, mas sabem muito bem como agradá-las: criando brincadeiras e saborosos quitutes nipônicos, alguns deles com um toque brasileiro. A obra é um convite a descendentes de imigrantes conhecerem a cultura japonesa de um jeito muito divertido e delicioso!

 

 

As fantásticas aventuras da vovó moderna

Neste livro de Leo Cunha e Marta Lagarta, quem protagoniza a aventura é a própria vovó! Numa história repleta de sonhos, ventanias, tempestades e invenções mirabolantes, a vovó moderna tem uma tarefa e tanto: tentar fazer com que o vô Astolfo deixe de ser tão dorminhoco e desanimado. Ela vai usar toda a sua ousadia e criatividade, além de contar com ajuda da mãe natureza para essa missão.

 

 

Vovô Verde

Cada um tem a sua maneira de guardar as vivências que vamos acumulando ao longo do tempo e que não gostaríamos de esquecer. Hoje, o Vovô Verde anda um pouco esquecido, mas não deixa de ser um jardineiro apaixonado – então nada melhor do que retratar suas memórias no jardim de casa, formando um verdadeiro relicário de alegrias, tristezas, decepções, descobertas e tudo mais que a vida proporciona. Nessa história delicada, a autora Lane Smith aborda o envelhecimento, a memória e os laços afetivos que unem os familiares.

 

 

Reinações de Narizinho

Nas histórias do Sítio do Picapau Amarelo de Monteiro Lobato, Pedrinho e Narizinho têm em Dona Benta todo o amparo e incentivo para suas mais mirabolantes aventuras. No início, ela pensava que as peripécias da turma do sítio eram pura imaginação de criança, mas acabou descobrindo o mundo encantado onde essas sagas acontecem, e não à toa é descrita como “a mais feliz das vovós”. Reinações é um clássico da literatura infantil que conquistou diversas gerações – uma ótima pedida para ler com os avós.

 

 

O amor pega feito um bocejo

Tia Cátia é uma senhora que vai morar com seu sobrinho porque está um pouco atrapalhada. Velhinha e avoada, ela usa maquiagem vermelha para ir à igreja, esquece o fogo ligado, tropeça nos tapetes pela casa... Com versos rimados, o autor Antonio Geraldo Figueiredo Ferreira narra as mudanças no dia a dia familiar e os causos engraçados dessa nova convivência, mostrando que há muitas maneiras diferentes de conviver e de amar.

 

 

Histórias de antigamente

A autora Patricia Auerbach gostava de ouvir as histórias dos seus antepassados, e ficava pedindo para os avós contarem histórias engraçadas e interessantes que viveram. Afinal, era num tempo muito diferente dos dias de hoje – sem geladeira, TV ou carro. Além de narrar seus divertidos causos familiares e falar sobre os costumes de outra época, a autora explica no livro como e quando algumas engenhocas que revolucionaram o nosso jeito de viver foram inventadas, num ponto de vista interessante sobre as vivências de avós e netos.

 

 

Como ser babá da vovó/Como ser babá do vovô

Cuidar dos avós pode ser muito divertido, como a protagonista deste livro mostra bem. No final de semana em que vai passar sem os pais, tendo só a avó (ou o avô) como companhia, a neta cheia de criatividade descreve as tantas brincadeiras possíveis de fazer com os avós, provando que não há nada melhor do que se divertir ao lado de quem a gente mais ama e que cuidar dos avós pode ser muito legal ‒ basta saber como é que se faz.

Neste post
Acesse a Letrinhas nas redes sociais