21 livros infantis para quem ama cachorros

Cachorros são companheiros, amorosos e trazem muita alegria para qualquer lar. Além disso, é muito comum que as crianças queiram, em algum momento da vida, ter um cãozinho para brincar e chamar de seu. É o caso da garotinha do novo livro de Jon Agee, Eu quero um cachorro, lançado no Brasil pela Pequena Zahar. Num abrigo de animais, tentam convencê-la de que os animais mais inusitados podem substituir a amizade e o amor de um cão. Nem sempre é possível conseguir seu próprio cãzoinho, mas, felizmente, por suas características tão especiais e por já fazerem parte do imaginário da criançada, eles também rendem ótimos protagonistas de livros infantis.

Na lista que selecionamos abaixo, tem cachorrinhos para todos os gostos: mal-humorados, perdidos, dorminhocos, imaginários e até heróis!

Um cachorro é

fiel,

amoroso,

inteligente,

fofinho,

engraçado,

corajoso...

e é o melhor amigo

que alguém poderia ter na vida.

Eu quero um cachorro, de Jon Agee  

 

1) Eu quero um cachorro, de Jon Agee

Do premiado autor de O muro no meio do livro e Vida em Marte, o lançamento da Pequena Zahar acompanha uma garotinha que vai a um abrigo de animais decidida a adotar um cachorro. O problema é que o moço do abrigo só traz alternativas esquisitas de bichos de estimação: um tamanduá, um canguru, uma serpente e até um peixinho morto e um lagarto disfarçado de cachorro. Mas ela quer um cachorro e se irrita com as ideias absurdas do atendente. Um livro ilustrado encantador e muito divertido em que o adulto tenta convencer a criança a se render a uma ideia sem pé nem cabeça, enquanto ela o chama de volta ao “mundo real”. Será que ela vai resistir até o fim e conseguir seu cãozinho?

Capa do livro Eu quero um cachorro, de Jon Agee

 

2) Rio, o cão preto, de Suzy Lee

Este é o primeiro livro com texto de Suzy Lee a ser publicado no Brasil. A prestigiada autora coreana da Trilogia da margem, composta pelos livros OndaSombra Espelho, apresenta aos leitores um cachorro que vivia preso e era negligenciado pelo dono. Até que uma família com duas crianças – Mar e Montanha - resgata o bichinho e dá a ele o nome de Rio: juntos, eles compartilham brincadeiras, carinho e companhia na casa dos avós das crianças. O livro, de pouco texto e traços sutis e expressivos ao mesmo tempo, foi baseado em uma experiência da família da autora com a adoção.

Capa do livro Rio, o cão preto, de Suzy Lee

 

3) Três desejos para o Sr. Pug, de Sebastian Meschenmoser

O Sr. Pug acordou quase ao meio-dia. Não tinha café, nada para comer, chovia muito e o jornal estava ensopado. Um dia daqueles em que nem dá coragem de sair da cama mesmo... até que aparece uma fadinha cor-de-rosa muito feliz e animada, que vai colorindo as páginas em preto e branco com ideias de bons desejos que ela poderia realizar para o Sr. Pug. E o que será que esse cachorrinho meio rabugento vai pedir?

Capa do livro Três desejos para o Sr. Pug

 

4) Coleção do Pum, de Blandina Franco e José Carlos Lollo

Um cachorro queridíssimo e muito fedido que já rendeu uma quantidade enorme de trocadilhos para a literatura infantil brasileira. Já deixaram o Pum escapar, soltaram o Pum dentro e fora da escola e também na banheira. Ele já veio acompanhado da Meleca e do Piriri e, com seu humor meio escatológico que as crianças adoram, sempre causa as maiores bagunças e confusões, além de muita gargalhada para os pequenos leitores.

Montagem com as capas dos livros do cachorro Pum, personagem de Blandina Franco e Lollo

 

5) Coleção O Homem-Cão, de Dav Pilkey

Um policial e seu fiel “cãopanheiro” sofrem um acidente, e a única chance que eles têm de sobreviver é fundir o corpo do policial à cabeça do cachorro. Assim nasce esse herói do jeito que todo fã de cachorros adora: que deita e rola sobre os bandidos e late na cara do perigo! Logo no primeiro volume da coleção, descobrimos que os quadrinhos do Homem-Cão foram produzidos por Jorge e Haroldo, os mesmos personagens de Dav Pilkey que também criaram o amado Capitão Cueca. Cada livro da coleção faz referência a um clássico da literatura, e assim temos, por exemplo, O Homem-Cão: o senhor das pulgas e o mais recente O Homem-Cão: imundície e castigo.

Capa do livro O Homem-Cão - Imundície e Castigo

 

6) Ossos do ofício, de Giles Eduar

Um cachorrinho muito curioso sai de manhã para passear e, por onde passa, observa um tipo diferente de profissão: o varredor da rua, o veterinário, o padeiro, a dentista, os pintores, o jardineiro... Por fim, ele quer saber qual é a sua própria profissão e conclui, de volta para casa com seus humanos, que é fazer as pessoas felizes!

Capa do livro Ossos do ofício

 

7) Poemas do Nilo, de Giles Eduar

Neste livro, o mesmo cãozinho de Ossos do ofício, Nilo, conta, em poemas, o que faz quando fica sozinho em casa: lê, desenha, vê televisão, brinca de faz de conta com os amigos. Mais um volume encantador com as percepções desse cachorro fofíssimo, com letra bastão e pouco texto, para os leitores iniciantes se aventurarem sozinhos na leitura.

Capa do livro Poesias do Nilo

 

8) Caos, o cachorro, de Tathyana Viana e Mariana Massarani

Em capítulos, o cachorrinho deste livro divertido e tocante conta, em primeira pessoa, suas aventuras pelas ruas desde o dia em que foi abandonado na chuva numa calçada, sem comida, sem dono, sem nome. Em sua busca por um novo lar, ele não quer perder sua liberdade de perambular e bagunçar pela cidade. Ideal para leitores que já são autônomos e dão conta de livros de mais fôlego.

Capa do livro Caos, o cachorro

 

9) Canarinho, cachorrão e uma tigela de ração, de Sylvia Orthof e Ionit Zilberman

A cachorrinha Duna tem uma dona que capricha no visual da sua ração, mas Duna já enjoou desse cardápio e vai dar uma voltinha para ver se tem alguma coisa diferente na cozinha. Enquanto isso, um grupo de passarinhos acha o prato de ração muito apetitoso e acaba com a comida de Duna! Com rimas cheias de ritmo e letra bastão, este livro divertido de Sylvia Orthof brinca com os sons e vai agradar desde bebês e crianças pequenas até aquelas que já começam a ler sozinhas.

Capa do livro Canarinho, cachorrão e a tigela de ração

 

10) A outra enciclopédia canina, de Ricardo Azevedo

Vencedor do Prêmio Jabuti em 1999 na categoria Infantojuvenil, este livro informativo de Ricardo Azevedo é um manual de cães muito divertido e diferente! Vários artistas ilustram o texto saboroso de Ricardo, que apresenta a personalidade e as características de várias raças de cachorro, como o boxer, o dálmata e o buldogue, para o leitor escolher qual peludo faz mais o seu tipo.

Capa do livro A outra enciclopédia canina, de Ricardo Azevedo

 

11) O cachorro perdido, de Guido Van Genechten

Este cachorrinho se perdeu de seu dono e, partir da sua perspectiva, vai dando as pistas para os pequenos leitores o ajudarem a encontrá-lo. Em meio a tantos sapatos, calças coloridas, cheiros e pessoas passando, será que alguém vai conseguir encontrar seu dono muito especial? Do mesmo autor do sucesso O que tem na minha fralda? e A inacreditável, porém verdadeira, história dos dinossauros.

Capa do livro O cachorro perdido

 

12) Oi, Au-au!, de Adam Stower

Lili queria muito ter um cachorro. E não é que um dia encontrou um bem grande, peludo, bravo e de patas enormes justo no seu quintal? Ela o chama de Au-au, ainda que ele não seja um cachorro como os outros: ataca a geladeira em vez de comer ração, nunca faz o que pedem a ele, dorme muito e não corre atrás da bola. Mas quem aí não entenderia o amor de uma criança doidinha para ter um bichinho de estimação, mesmo que ele seja uma fera?

Capa do livro Oi, Au-au!

 

13) Sete cachorros amarelos, de Silvana Rando

Neste livro ilustrado muito divertido, descobrimos que Teodoro acha incríveis os sete cachorros amarelos de sua vizinha. Na sua casa, sua mãe só criava galinhas, e o menino achava que elas eram muito sem graça. Enquanto o texto conta essa história ao leitor, a narrativa visual das ilustrações mostra uma versão bem diferente, em que as galinhas de Téo fazem coisas extraordinárias, enquanto os cachorros amarelos da vizinha fazem coisas... de cachorro.

Capa do livro Sete cachorros amarelos

 

14) Não!, de Marta Altés

Este cachorrinho bagunceiro e cheio de boas intenções conta sua própria história. Ele é muito bom e sempre ajuda sua família, que fica tão feliz com seu comportamento que não se cansa de chamar seu nome: Não! Como acontece muitas vezes com as crianças, o cachorrinho faz o seu melhor, bem do seu jeitinho, e nem percebe que as pessoas podem não achar isso bom.

Capa do livro Não!, que tem um cão como protagonista

 

15) Vira-lata, de Stephen Michael King

Em mais um livro tocante com lindas ilustrações, o autor australiano Stephen Michael King retrata um cãozinho corajoso, rápido, esperto, mansinho e leal, mas sem dono. Esse vira-lata vive pela cidade, sem ninguém para cuidar dele. Um dia, ele passa a noite num abrigo para pessoas cansadas e sem casa, como ele, e conhece alguém que vai mudar o rumo de sua história.

Capa do livro Vira-lata

 

16) Três, de Stephen Michael King

Um cachorrinho de três patas se virava muito bem numa cidade cheia de carros e pessoas. Organizando o mundo e os seres a partir do número de patas que possuíam, Três um dia encontrou uma família que vivia num lugar cheio verde e onde seres com diversos números de patas viviam felizes.

Capa do livro Três

 

17) Filhotes de bolso, de Margaret Wild e Stephen Michael King

Bife e Bufe são dois cachorrinhos bem pequeninos. Tão pequenos que cabem nos bolsos do casacão de Seu Totó, com quem saem para passear todos os dias. Porém, o bolso onde fica Bife está cada vez mais descosturado e ele fica com medo de cair, mas não consegue dizer isso ao seu dono. Um dia, Bife cai do bolso bem no meio do supermercado e, enquanto está perdido, vira filhote de cesta, de carrinho de boneca e de carrinho de supermercado. Mas ele é um filhote de bolso! Será que vai achar seu dono entre tantas pessoas?

Capa do livro Filhotes de bolso

 

18) Filhotes de bolso saem de férias, de Margaret Wild e Stephen Michael King

De férias na praia, os cachorrinhos Bife e Bufe se divertem muito com Seu Totó: um corre atrás das ondas, o outro foge delas e os dois brincam num castelo de areia feito especialmente para eles. Mas, como estavam na praia, Seu Totó tirou seu casacão cheio de bolsos e uma onda o acabou levando! E agora, será que Bife e Bufe não vão mais ser filhotes de bolso?

Capa do livro Filhotes de bolso saem de férias

 

19) Dorminhoco, de Michael Rosen e Jonathan Langley

Todos os animais estão dormindo na fazenda: o gato, a ovelha, a porquinha e seus filhotes. Porém, o cachorro ronca muito alto e acorda todo mundo! Então, os animais resolvem acordá-lo para que ele pare de roncar, mas nada funciona. Até que esse dorminhoco acorda cheio de energia com o canto do galo e vai brincar, enquanto os outros animais caem no sono durante o dia mesmo. Cheio de onomatopeias e com uma estrutura narrativa simples que se repete, este livro se completa com as lindas ilustrações do artista inglês Jonathan Langley.

Capa do livro Dorminhoco

 

20) Célio Coelho e João Cão, de Rotraut Susanne Berner

As famílias Cão e Coelho não se misturam e só pensam o pior uma da outra, mesmo que nada seja verdade. Num domingo de corrida, João e Célio, mesmo sem poder se encontrar, fogem para competir e acabam descobrindo que, de perto, têm muito mais em comum do que poderiam imaginar.

Capa do livro Célio Coelho e João Cão

 

21) Ruim pra cachorro!, de Irene N. Watts

Mateus se muda para uma nova cidade e precisa deixar seu cachorro Sortudo para trás. Ele sente muita falta do amigo, que não pode entrar no prédio onde ele mora, e tem dificuldade para se adaptar à sua nova vida, então, com a ajuda de um cão-amigo imaginário, o garoto vai tentar dar um jeito de trazer seu cachorro para junto dele.

Capa do livro Ruim pra cachorro!

Neste post
Acesse a Letrinhas nas redes sociais