Uma prosa que trata de poesia

Numa prosa entre os autores Fernando Nuno e Sinval Medina, amigos de longa data, o tema é a poesia, abordada a partir do diálogo entre duas obras, João e o bicho-papão e O livro que não queria saber de rimas, este recentemente lançado pela Companhia das Letrinhas.

Fernando e Sinval percorrem há tempos uma trajetória de publicações voltadas ao público infantil. “A criança que mora em mim gosta de se revelar às crianças”, brinca Fernando, que versa sobre a teimosia de um livro que não queria guardar verso algum em suas páginas em branco em O livro que não queria saber de rimas, com as ilustrações de Cris Eich.

Apesar das distantes origens entre os autores, eles se encontraram há quatro décadas na capital paulista. Fernando é português, graduado em Letras e em Jornalismo. Gaúcho, Sinval também atuou como jornalista e chegou a lecionar para Nuno, um “aluno brilhante”, na graduação. Dedicado exclusivamente à literatura, Sinval diz que a poesia lhe vem à inspiração essencialmente para crianças.

“Tem todo um universo de coisas não práticas, não funcionais, que você vai descobrir pelas vias da poesia e da literatura. E isso é importante para enriquecer sua vida”, diz Sinval, que, em João e o bicho-papão, ilustrado com a estética da xilogravura por Renata Bueno, narra em versos a saga de um menino à procura da tal criatura que acreditava não existir.

O entusiasmo do reencontro dos amigos rende uma conversa que passeia pela origem das histórias dos livros, pela carpintaria dos versos e por reflexões sobre a importância da presença da poesia na vida das crianças, seja em casa, seja na escola. Para saber mais da prosa entre os autores, confira o vídeo a seguir.