Píppi Meialonga desembarca em São Paulo

Há setenta anos ela percorre o mundo levando suas histórias, traduzidas para mais de sessenta países, incluindo o Brasil, onde desde 2003 encabeça o time de personagens femininas da Companhia das Letrinhas. Agora, a menina ruiva, de sardas e trancinhas esticou uns meiões verdes amarelos nas canelas para desfilar a partir de 3 de março, às 19h, em 25 fotos da exposição Píppi in Rio – 15 anos sem Astrid Lindgren, na Fnac da Paulista, em São Paulo. 

Com fotos do sueco-brasileiro Magnus Vaena, a mostra tem curadoria de Rodrigo Accioly e coordenação de Paulo Villar e Anouk Zee. Celebra os 110 anos da autora sueca Astrid Lindgren (1907-2002), sempre lembrada por ter batalhado por diversas causas sociais, principalmente pelos direitos da criança ser criança. Referência na literatura infantil, ela teve um prêmio criado em sua homenagem: o respeitado Alma (Astrid Lindgren Memorial Award), que busca reforçar globalmente a atenção para as produções literárias para a infância e valorizar os diretos das crianças.

Escrito em 1945, Píppi Meialonga foi o segundo livro publicado por Lindgren, autora de mais de 40 obras para crianças, que muito repercutiram no teatro, no cinema, na televisão e na música. Vendeu cerca de 145 milhões de exemplares no mundo todo. Dizia que escrevia para a criança que vivia dentro dela e acreditava que os pequenos deviam ser movidos pela arte.

Se hoje vivemos tempos de empoderamento feminino, Lindgren há décadas vem dando seu recado de que menina pode tudo e mais um pouco a partir das peripécias de Píppi. Com nove anos, a personagem mora na Vila Vilekula na companhia de seu cavalo e do seu macaco de estimação, sem mãe nem pai por perto. Esperta, tem sempre uma resposta na ponta da língua. É habilidosa: ao mesmo tempo em que trança os cabelos, ela amarra os sapatos, sempre grandões. E é a garota mais forte do mundo, além de uma das personagens mais famosas da literatura infantil.

O carisma da destemida protagonista é refletido nas fotos da exposição, que trazem Píppi numa alegórica viagem pelo Rio de Janeiro, onde brincou com as crianças dos morros cariocas, conheceu os sons do berimbau, jogou capoeira, desfilou na praia e provou água de coco pela primeira vez – apostamos que ela adorou! Na exposição, o público também poderá conhecer livros originais cedidos pela família da autora. A tradutora Heloísa Jahn será homenageada na data.

Em Você conhece a Píppi Meialonga?, as crianças podem adentrar no mundo da famosa protagonista. Depois, vale embarcar em Píppi Meialonga, Píppi a bordo, Píppi nos mares do sul. Para conhecer outros personagens da escritora sueca, a dica são as obras Os irmãos coração de leão e Emil e a grande fuga. A última obra de Lindgren lançada pelo selo Letrinhas foi Karlsson no telhado

Agenda

Exposição Pippi in Rio – 15 anos sem Astrid Lindgren

Onde: Fnac – Paulista (Av. Paulista 901)

Quando:  de 3 a 15 de março

Neste post