O que não pode faltar no bolo da Letrinhas?

Um quilo de boas histórias ao leite

Açúcar gargalhante

Duas colheres de doçura

Um copo de frio na barriga

Farinha de pirlimpimpim

Pitadas de sabor de cor

Um bocado de entusiasmo

Misture tudo, coloque no forno

E logo vai sentir um cheiro de livro novo...

 

Se tem festa, tem bolo. Por isso perguntamos a escritores, ilustradores e tradutores, entre outros colaboradores do selo, quais são os ingredientes imprescindíveis para fazer o bolo de aniversário da Letrinhas. A resposta, claro, veio em forma de brincadeiras, quadrinhas e desenhos, bem ao modo do povo inventivo que faz os nossos livros. Ah, ninguém se esqueceu das velas, daquelas que nunca se apagam, como as histórias mágicas que ficam pra sempre na nossa cabeça.

 

Abaixo, descubra os ingredientes desse bolo!

(E clique aqui para saber mais sobre a festa)

 

 

***

 

JOSÉ CARLOS LOLLO, ilustrador de Ernesto e O coiso estranho

 

***

 

“No bolo da Letrinhas não pode faltar: um fermento especial de celulose em pó chamado ‘humormento’, cubos de cacau condensado com farinha mascava processada de cores em tons pastéis e pinceladas com cores vibrantes, um quilo de boas histórias ao leite, um litro de coração jovial inspirado, um copo de carinho nacional, um copo de cuidado internacional e pitadas de memórias memoráveis de gosto gostoso sem validade vençante por mais vinte e cinco anos.”

BRUNA BEBER, tradutora de O Lórax

 

***

 

“No bolo dos 25 anos da Letrinhas, uma das camadas deve ser feita pela bruxa que queria comer o João e Maria. Mas não feita com um pedaço da parede da casa de pão de gengibre, como na versão alemã, ou chocolate, como na versão brasileira. Tem de ser feita com farinha de caracóis moídos, gordura de sovaco de gambá e condimentada com lacraias vivas. Pelo de morcego a gosto.”

ERNANI SSÓ, autor de Contos de morte morrida e As lendas urbanas da morte

 

***

 

“Não pode faltar sabor. Mas não é qualquer sabor. É sabor de cor.

Sabor de mundo novo, de causos, de frio na barriga, de viagens por outros tempos. Aquele sabor que você sente quando fecha os olhos e vai longe, longe, flutuando por caminhos desconhecidos e, quando vê, já se entregou sem perceber. Esse é o sabor que não pode faltar no bolo da Letrinhas.”

ESTÉFI MACHADO, autora de O livro da Estéfi

 

***

 

“No bolo da letrinhas tem que ter letrinhas.”

EUCANAÃ FERRAZ, autor de Cada coisa e Em cima daquela serra

 

***

 

“Não pode faltar farinha, nem a madrinha. Nem leite, para nosso deleite. Muito menos chocolate, que seria um disparate. E bolo sem granulado, eu pulo, muito obrigado.”

ALICE SANT’ANNA, do departamento editorial

 

***

 

“No bolo da Letrinhas

não pode faltar poesia,

cheia de ritmo e de rima

e uma vela brilhante em cima.

Na festa da Letrinhas

de astros e de estrelinhas

não pode faltar poesia,

misturada com muita folia.

Cantar e dançar... até faltar ar!

- Poesia não pode faltar.”

FERNANDO NUNO, autor de Livro que não queria saber de rimas

                           

***

 

“Personagens pretxs, negrxs, afros saltando pelas páginas dos livros, logo abertos. É quando pulam para dentro de um coração imaginativo e ali vivem felizes, para sempre. Porém toda essa presteza está no olho de quem os criou.”

HELOISA PIRES LIMA, autora de Histórias da Preta

 

***

 

“Segundo a infalível receita do inesquecível bolo de letrinhas, os ingredientes básicos são: poemas, mitos, contos, causos, biografias, histórias de suspense, romances. Agora, o segredo da massa é misturá-los com novas e antigas imagens, fermentá-los com apurada arte gráfica, para que as palavras formem uma forte liga com as ilustrações. Finalmente, não se esquecer de bater a massa com muita competência, assar na temperatura da ousadia, dando o ponto sempre com carinho. A cobertura varia: a camada de humor, terror, amor, realidade, sonho ou suspense, ou todas elas misturadas, ficando sempre a escolha de cada leitor. Porém, para que a receita seja mesmo impecável, nunca deverá ser seguida totalmente à risca. O polvilho da invenção é o ingrediente secreto, o único capaz de conferir um sabor verdadeiramente inigualável!”

HELOISA PRIETO, autora de O estranho caso da massinha fedorenta e O circo do amanhã

 

***

 

“Uma tonelada de ferro para um futuro bem sólido. Amoras, chantilly, trufas, sorvete de chocolate, paçoca, sorte, ousadia, morango, imaginação, talento e energia à vontade. Quinhentos quilos de açúcar, porque doçura nunca é demais. E, para terminar, uma pitada de raio laser, para aquele tchans especial que só a Companhia tem.”

ÍNDIGO, autora de As aventuras de Glauber e Hilda

 

***

 

“Entusiasmo, claro (uma palavra tão importante que chega ao ponto de ter dentro dela a própria palavra Deus. Um feito.) Sem ela não há bolo editorial que cresça bem no forno. Sem ela a farinha perde a confiança, o açúcar desanima, os ovos desesperam. Uma pitada bem generosa faz a massa crescer bem fofa e inspirada. Borbulhando oxigénio, fôlego e ânimo. Dica de preparação: para que a massa não se deixe abater, tenha em conta que o mais difícil não é começar a receita (quando o entusiasmo é abundante), mas sim dar-lhe continuidade (mantendo sempre altos os níveis deste ingrediente). Agitar com frequência. E, de quando em quando, como dizemos em Portugal, ‘partir a loiça toda’ (obrigatório).”

ISABEL MINHÓS, autora de Siga a seta!

 

***

 

“Não sei como o bolo deve ser, mas há que ter uma menina de chapeuzinho vermelho para colocá-lo numa cestinha e distribui-lo entre os convidados. E um deles, o Lobo Mau,  perguntará:

- Para que esse bolo tão grande?

- É para comemorar os 25 anos da Companhia das Letrinhas.

- E por que ele cheira tão bem?

- É cheiro de livro novo.

- E por que ele é tão colorido?

- O pessoal da arte é caprichoso.

- E será que ele é mesmo gostoso?

- Só experimentando para saber.

Então o Lobo comerá um pedaço e achará o bolo tão bom que nem pensará mais em comer a vovozinha (por umas duas horas).”

JOSÉ ROBERTO TORERO, autor de Uma história de futebol e Papis et circenses

 

***

 

“Letrinhas, aniversário

No delicioso bolo de aniversário dos 25 anos das Letrinhas ,

alguns ingredientes não podem faltar:

emoção, brincadeiras, mistérios, música, poesia,

bichos, bruxas, gnomos, aventura,  fantasia,

histórias, fadas, enigmas, monstros, magia,

duendes, sonhos, esperança, chocolate e alegria.

Parabéns, Letrinhas!!!!!”

LAURABEATRIZ, ilustradora de Chico Cambeva no fundo do martelo e Que João é esse? Que Maria é essa?

 

***

 

"Que o bolo da Letrinhas tenha camadas e mais camadas de boas histórias para que nós, ilustradores, possamos nos divertir confeitando."

MARCELO TOLENTINO, ilustrador do Blog da Letrinhas

 

***

 

"Tem que ser leve, como a  maçã da Branca de Neve. Tem que dar alegria, como os doces de João e Maria. Tem que ser bem grandão, como o pé de feijão do João. E, no fim, para coroar o festim, um tiquim de pó de pirlimpimpim."

MARCUS AURELIUS PIMENTA, autor de Abecê da liberdade e Naná descobre o céu

 

***

 

“Para comemorar um quarto de século desta senhora editora, não poderia faltar, claro, o bolo mil-folhas. Um bolo onde cada camada é recheada de finas histórias com sabor de fantasia, aventura, mistério... Tudo isso debaixo de uma deliciosa cobertura feita do mais nobre ingrediente: a curiosidade! Ah, o confeiteiro avisa: quem devora essas mil-folhas não fica com dor de barriga, não. Quem experimenta delas tem vontade de rir, suspirar ou até de... voar.”

MARIA AMÁLIA CAMARGO, autora de Meu vizinho é chato pra cachorro!

 

***

 

“Nesse bolo não pode faltar um monstro bem medonho, uma bruxa com verruga, nem um menino corajoso. Não pode faltar o caldeirão do feiticeiro, a punição do inimigo, nem as asas do dragão. Não podem faltar meninas curiosas, professoras mau humoradas, nem ideias pra misturar tudo isso, construir as melhores histórias e espalhar por aí. Parabéns Letrinhas! 25 anos com muita história pra contar!”

PATRICIA AUERBACH, autora de Histórias de antigamente e Pequena grande Tina

 

***

 

“Não pode faltar velas de bailarinas gêmeas que soltam estrelas ao rodopiar, a clarineta da vizinha cantando os parabéns e 25 histórias a cada pedaço, isso só para terminar! De recheio, queremos um abecedário de sabores, todas as cores dos pássaros falantes e caracóis cintilantes, árvores de chocolates, cascatas de sorvete e todo o piriri que isso pode dar. Também tem que ter rinocerontes, elefantes voadores e brincadeiras de girar. Eu, o Pum, a Píppi e todos os nossos amigos estaremos juntos com a Companhia das Letrinhas para comemorar!”

CAMILA NUNES, do departamento de direitos

 

***

 

“Não pode faltar a palavra jogada no ar como velinhas acesas no bolo de aniversário da Letrinhas, histórias que se contam desde o começo da comunicação entre os seres humanos e que os livros registram para que se dialoguem nas relações humanas, permanecendo na nossa memória e das novas gerações. Não pode faltar a escuta preciosa entre todos nós, o desejo de permanecermos atentos ao que podemos construir nesse espaço de páginas que narra o que somos e o que ainda podemos ser. A começar pelo nome, parabéns aos livros que inspiram estar em 'companhia' das letras.”

PENÉLOPE MARTINS, escritora e colaboradora da seção Dois dedinhos de prosa

 

***

 

“Para fazer o bolo dos 25 anos da Companhia das Letrinhas, você precisa estar ciente de que o bolo vai ser gigante. Isso mesmo, gigante. Isso porque o país todo vai querer um pedacinho. Depois, você precisa separar os ingredientes. Essa parte é muito importante, pois o bolo precisa ficar gostoso, além de bonito. Sabe como é, o conteúdo é sempre muito bem escolhido por aqui. Comece acrescentando uma equipe maravilhosa que trabalha em perfeita sincronia, depois adicione aos poucos ideias malucas sobre cachorros falantes e cidades comestíveis, não pode se esquecer também de muitas toneladas de palavras, barulhos, gritos e suspiros. Por último, coloque amor, isso vai fazer o bolo crescer muitão. Depois, está na hora da decoração. Essa parte é a mais divertida, já que a gente pode usar todas as cores, linhas e formas para mostrar o quão especial esse bolo é. E voilá! Ele está pronto! Agora é só cortar em pedacinhos e distribuir para todos que queiram um bolo em que dá para sentir o gosto de mudar o mundo.”

PRI FERRARI, autora de Coisa de menina

 

***

 

“Os melhores bolos, pelo menos pra mim, são os simples, daqueles que a gente come no café da tarde, conversando com gente querida. Desses a gente não enjoa. Toda vez que vou à casa da Letrinhas, sou recebido com uma fatia desse bolo, o que me faz querer voltar sempre. Tenho certeza que ele não vai faltar nesta festa de 25 anos.”

RENATO MORICONI, autor e ilustrador de Bárbaro

 

***

 

 

RENATA BUENO, autora de O que é liberdade?

 

***

 

“Na festa da Letrinhas, 

não pode faltar o saci. 

Pode deixar que eu levo 

o que se mudou pra minha casa

desde que eu comecei a escrever

histórias sobre o danadinho.”

SILVANA SALERNO, autora de Viagem pelo Brasil em 52 histórias

 

***

 

“Nada falta para a festa

Da editora premiada

Que só acumula sucessos

Desde que foi criada

 

As vinte e cinco velinhas

Dizem mais que o necessário

Desejo de coração

Um feliz aniversário

 

Expresso minha emoção

Nestas modestas quadrinhas

Parabéns e longa vida

À Companhia das Letrinhas!”

SINVAL MEDINA, autor de Cantisapos, histocaés e cirandefantes e João e o bicho-papão

 

***

 

“Não pode faltar no bolo da Letrinhas uma pitada açúcar gargalhante, farinha de rosca quadrada, ovos mexidos e parados, leite de pedra, essência de baunilha colorida e uma enorme barra de chocolate meio azedo-doce. E claro, muito amor, dedicação e profissionalismo na hora de misturar e assar esse bolo literário. Parabéns pelos 25 anos! E que venham muitos mais anos pela frente.”

ILAN BRENMAN, autor de Pai, quem inventou? e Histórias do pai da história

 

***

 

“Não pode faltar nenhuma cor nem as que ainda serão inventadas! As doces, as salgadas, e de todo e qualquer sabor!”

GUSTAVO KURLAT, coautor de Quando Blufis ficou em silêncio, em parceria com Lorena Nobel

 

***

 

“Pensei em uma pitada de magia, dois copos de humor, quatro colheres de doçura e duas gerações para cobertura! Salpicar com granulado de todas as cores do mundo.”

RENATA MORITZ, do departamento editorial

 

***

 

“Para o aniversário da Letrinhas, temos que encomendar um bolo tão incrível quanto a própria aniversariante! Ah, e não podemos esquecer de pedir à confeitaria para liberar o acesso a todos os nossos autores e ilustradores… O saco de confeitar e as inúmeras camadas de massa doce serão suas novas caneta e papel. Que essas novas histórias, escritas e ilustradas a fio de chocolate nesse gigantesco bolo, fiquem ainda mais deliciosas e não sobre um farelo sequer!”

NESTOR TURANO, do departamento de produção

 

***

 

“Acho que não podem faltar “velas mágicas” — aquelas velas de aniversário que não apagam —, pois são assim muitos dos livros do Letrinhas. Histórias que são lidas inúmeras vezes, em que o pequeno leitor já sabe a história de cor, mas quer escutá-la de novo, quantas vezes puder!”

TOMOE MOROIZUMI, do departamento de produção