Novembro tem Saci, fadas e outras coisas

Tem poesia, conto de fadas e folclore nos lançamentos de novembro da Companhia das Letrinhas. Eucanaã Ferraz encontra a excentricidade nos mais simples objetos do cotidiano e revela, em Cada coisa, que basta olhar atentamente para descobrir a poesia presente na realidade. No conto O lagarto, José Saramago desafia a sagacidade do leitor em não acreditar em conto de fadas. E Ilan Brenman, autor de Saci: a origem, resgata o comecinho da história do famoso Pererê. Leia mais a seguir.

A poesia das coisas mais simples

Nosso dia a dia é cercado pelos mais diversos objetos que, de tão presentes em nossas vidas, passam despercebidos: já parou para olhar bem para um lápis, um caderno ou mesmo um clipe de papel? É isso que o poeta Eucanaã Ferraz faz em Cada coisa, que tem a parceria de Raul Loureiro nas ilustrações. O autor usa os elementos cotidianos como inspiração para compor poemas que convidam a todos a ver o mundo de um novo jeito.

Esse negócio de fada

Você acredita em fadas? Não? Então como explicar a história de um lagarto gigante que surgiu de repente no meio da rua, espalhou o caos entre os moradores da cidade e no auge da confusão... Melhor não contar, mas uma coisa impressionante aconteceu! O que será? Fica o convite para a descoberta em O lagarto, uma história de José Saramago ilustrada por J. Borges. Depois da leitura, quem terá coragem de reafirmar que continua não acreditando em fadas?

O menino do gorro vermelho

Todo mundo já ouviu falar do menino de uma perna só, que anda por aí com seu gorro vermelho e um cachimbo pregando peças em todos. Mas como foi que o Saci Pererê surgiu? E como foi que ele perdeu a perna e aprendeu a se locomover usando um redemoinho? Em Saci: a origem, Ilan Brenman conta a origem dessa figura folclórica tão querida entre os brasileiros e desafia Guridi, um ilustrador estrangeiro, a fazer a sua própria versão do Saci.

Acesse a Letrinhas nas redes sociais