Maritaca é uma rádio que voa pra bem longe

Maritaca é o nome popular usado para denominar diversas espécies de aves da família dos psitacídeos. São menores que papagaios, costumam voar em bando e são barulhentas. Assim como a ave, uma rádio feita especialmente para crianças tem voado longe. É a rádio web Maritaca, que é cheia de músicas, bate-papos, brincadeiras e, claro, histórias.

A apresentadora é a Maritoca, interpretada pela jornalista e atriz Mariana Piza. “Maritoca é mais um pseudônimo do que um personagem. Digamos que ela é a Mariana mais animada, faladeira, expansiva”, explica a idealizadora do programa, que estreou com a Rádio Vozes, em maio deste ano, e vai ao ar todos os sábados, às 9h, com reprises aos domingos, no mesmo horário.

Para ouvir o programa de novo, é só baixar um aplicativo no celular ou acessar o site da rádio Maritaca. “A web é um berço incrível para qualquer programa de rádio. No caso de um programa infantil, acho mais propício ainda porque dá para escolher o melhor momento para mostrar para criança, e, se ela gostar, pode tocar de novo, de novo e de novo.”

No cardápio da Maritoca, tem brincadeiras do povo Kalapalo (uma corrida num pé só, como Saci), lenda japonesa sobre baleias contada pelo grupo Canto em Cantos, Itamar Assumpção cantando com os netos. Em um dos programas, a Maritoca chamou o grupo Tiquequê para contar uma história, O velho, o menino e o burro, e, em outro, tocou O gigante, música de Angelo Mundy que virou um livro em que é possível ler e cantar a saga do personagem.

Cada edição do programa tem um tema (origem, família, natureza, amigos), que sempre nasce de uma boa história. Depois são alinhavadas as músicas, brincadeiras, sugestões de livro e toda a diversão. Por lá, já passaram bandaMirim, Palavra Cantada e Companhia Cabelo de Maria e também músicas que tocavam na vitrola dos adultos, como Secos e Molhados, Moraes Moreira e Beatles.

Já perguntaram para a Mariana o que é que ela acha que criança gosta de ouvir. Ela fez uma comparação com a alimentação nessa mesma fase. “Acho que criança gosta de ouvir música boa, música de qualidade. É igual comida. Se você der comida saudável para criança pequena, ela pode até experimentar junk food na adolescência, mas, quando virar adulto, volta a se alimentar bem, porque o seu paladar foi educado”, pondera.

A apresentadora explica que hoje em dia há muito mais conteúdo musical produzido para crianças do que nos anos 80, quando viveu sua infância. “Hoje existe muita gente produzindo músicas, shows para o público infantil. Acredito que a música que a criança gosta e deve ouvir é aquela música que é sincera, que foi pensada com o coração antes de ser ‘fabricada’ para a infância. Música para criança pode ser simples, mas não simplista, com arranjos musicais pobres”, define Mariana, que é também responsável pela curadoria dos programas.

Interativo, o programa também dialoga com os pequenos ouvintes. As crianças podem participar no quadro da brincadeira Escute e Imagine. “Quero colocar no programa mais opiniões e pensamentos das crianças. Elas podem mandar áudios gravados pelo celular mesmo para falar se foi legal a brincadeira proposta ou contar o que imaginaram.”

Entre os diversos parceiros do programa, como a percussionista Nina Blauth, que fez as vinhetas, e a jornalista Patrícia Palumbo, realizadora da Rádio Vozes, um colaborador é pra lá de especial: o menino Matias, que tem quase cinco anos, é filho de Mariana e faz dupla com Maritoca em alguns momentos. “Ele adora participar e fala para todo mundo que é o nosso programa”, conta a apresentadora, que, de um modo afetuoso sem ser meloso, traz um pouco de suas impressões sobre os temas abordados e ainda resgata suas memórias dos tempos de menina.

 

Para sintonizar:

Rádio Vozes na Web

Google Play

App Store 

 

Neste post