As infelizes peripécias dos irmãos Baudelaire

 

Klaus, Violet e Sunny são notoriamente as crianças mais infelizes do mundo. É assim, ao menos, que nos são apresentados os protagonistas de Desventuras em série pelo narrador das histórias, o personagem-autor Lemony Snicket. A sucessão de tragédias que acontecem aos perspicazes irmãos foi um sucesso com os jovens leitores a partir dos anos 2000  -- a coleção começou a ser publicada no Brasil em 2001. Mais de 15 anos depois, vira série da Netflix, que acaba de estrear a segunda temporada.

 

 

Nos episódios de 50 minutos, os irmãos Baudelaire são representados por Malina Weissman (Violet), Louis Hynes (Klaus) e Presley Smith (Sunny). No papel do famoso vilão, Conde Olaf, que vive perseguindo as crianças para roubar a sua fortuna, está o ator Neil Patrick Harris.

 

 

O enredo da segunda temporada corresponde do quinto ao nono volume da saga, a partir do momento em que os desafortunados irmãos são colocados em um colégio interno, já que não restaram parentes vivos para zelar por suas vidas. Se você gostou da primeira temporada dessas terríveis aventuras, pode investir seu tempo nos novos episódios.

A  proposta apresentada é a mesma, com cenários bem caprichados, falas que carregam um tom teatral, além de, claro, as interrupções do narrador Lemony Snicket. A segunda temporada segue fiel à história narrada nos livros e com as referências literárias – e cenas que mostram uma grande quantidade de bibliotecas! Como novidade, o espectador pode contar com novos personagens, como o irmão de Lemony Snicket, Jacques, ou os trigêmeos Quagmire, Isadora e Duncan.

 

 

Quem é Lemony Snicket?

Lemony Snicket é o pseudônimo de Daniel Handler, escritor por trás da coleção de livros e de diversas outras obras como Por que esta noite é diferente das outras? e O escuro. Lemony Snicket também é narrador da série de livros que fez sucesso internacionalmente e que ganhou adaptação para filme e para série, esta última pela Netflix, no ano passado. Lemony Snicket, por fim, é personagem indireta da série, ou seja, comenta os acontecimentos sem participar diretamente da trama.

É uma personagem dos livros, mas também da vida real, com a qual Handler gosta de brincar. Em seu site oficial, o escritor guarda uma breve biografia daquele que assina seus livros: "Sr. Snicket nasceu antes de você, e provavelmente morrerá antes de você também", conta sobre o narrador, cuja família vem de um lugar que hoje está submerso e cuja infância foi vivida na casa de campo de sua família, que, desde então, tornou-se uma fábrica, uma fortaleza e uma farmácia, e que hoje é uma casa de campo pertencente a outra família.

E quem é Daniel Handler?

Escondido sob o famoso pseudônimo da literatura infantojuvenil está um escritor com uma história de vida trágica. Seu humor ácido e irreverente talvez se alimente desse lugar: seu pai era um refugiado judeu, que escapou da Alemanha em 1938. Afinal de contas, histórias de fuga não são tão incomuns para Handler.

Crítica

Desventuras em série, composta por 3 livros, é considerada por muitos como uma coleção gótica. Conta a história dos três irmãos que sofrem todo tipo de infelicidade, como a perda dos pais, um incêndio e a perseguição de um vilão ganancioso. A advertência, escrita por Snicket, vem logo na quarta capa do livro: "Não há nada que o impeça de fechar o livro imediatamente e sair para uma outra leitura sobre coisas felizes, se é isso que você prefere".

Apesar de serem sucesso entre crianças mais velhas, os livros são recheados de referências literárias e até bíblicas, o que causa prazer aos leitores adultos. Não faltam personagens chamados Baudelaire, Poe, Orwell…

Uma preocupação de Handler ao escrever Desventuras em série era a honestidade com as crianças. O autor foge de lições morais, como explicou em entrevista ao jornal americano The New York Times: "Quando as crianças alcançam as idades apropriadas para os livros do Snicket, elas têm um senso de que o mundo está indo no sentido contrário às regras que lhes foram contadas. Você recebe esse código de comportamento de seus pais e de seus professores e assiste ao mundo desobedecer às regras. Você pode se comportar bem e não necessariamente ser recompensado. Ou se comportar mal e não necessariamente ser punido. Os livros refletem essa verdade."

Fãs

Lançada no Brasil em 2001, Desventuras em série marcou toda uma geração de leitores. Espalhados pela internet, há diversos blogs e sites não-oficiais, incluindo o verbete da Wikipedia, enciclopédia online colaborativa, com diversas referências sobre a obra. "Para mim, é a parte gloriosa de um livro. Você o manda para o mundo e não sabe o que as pessoas vão achar dele. É verdade que eu tenho visto muitas, muitas interpretações de Desventuras em série que não foram sonhadas por mim, mas que não me deixam chateado… Gosto da ideia de uma história continuando na mente do leitor", conta o autor.

Filme

Quando surgiu a proposta de criar um filme inspirado na série de livros, Handler logo se animou para escrever o roteiro. A produção estaria a cargo de Scott Rudin e Barry Sonnenfeld, que trabalharam com filmes como Homens de Preto e A família Adams. Entretanto algumas mudanças deram um novo rumo ao longa-metragem, cujo projeto foi transferido à Dreamworks, com um novo time criativo que não incluía o escritor Daniel Handler.

O filme foi lançado em 2004 e tem nota 6,8 no IMDb. A direção é de Brad Silberling e o roteiro, de Robert Gordon. As atuações contam com nomes conhecidos de Hollywood, como Jim Carrey no papel de Conde Olaf e Meryl Streep como tia Josephine. Os irmãos Baudelaire são interpretados por Liam Aiken (Klaus), Emily Browning (Violet) e as gêmeas Kara e Shelby Hoffman, alternando no papel da bebê Sunny.

     

 

Acesse a Letrinhas nas redes sociais